Governo de SP quer privatizar Parque do Capivari em Campos do Jordão

Governo de SP quer privatizar Parque do Capivari em Campos do Jordão

governo estadual vai privatizar o Parque do Capivari em Campos do Jordão. O projeto de concessão à iniciativa privada inclui as áreas da estação de trem, do Morro do Elefante, o pedalinho e o teleférico. Uma empresa será contratada e poderá explorar comercialmente o complexo turístico e, em contrapartida, realizará obras de manutenção, orçadas em R$ 34,5 milhões.

De acordo com a Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM), a empresa escolhida vai ter o domínio econômico da área de 40 mil metros quadrados por trinta anos, tendo como contrapartida a modernização, manutenção e administração da área.

O parque inclui pedalinho, estação de trem, teleférico, Morro do Elefante e centro comercial. Apenas a gestão dos bondinhos continuará com a Estrada de Ferro.

O projeto foi apresentado à comunidade na última quinta-feira (14) em audiência pública na cidade O edital discutido inclui a implantação de um teleférico moderno, trenó sobre trilhos, concha acústica, nova estrutura para área de comércio, sanitários e estacionamentos.

Além disso, está incluída a requalificação do pedalinho, recomposição de áreas verdes, preservação dos equipamentos existentes e reurbanização do Morro do Elefante com novo mirante.

Atualmente, o acesso ao parque é gratuito e as atrações são pagas. O teleférico custa R$ 16 e o pedalinho R$ 15. Os valores a serem cobrados pela empresa responsável ainda deverão ser definidos.

 

Estrada de Ferro continuará a gerir os passeios turísticos de trem em Campos do Jordão (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)Estrada de Ferro continuará a gerir os passeios turísticos de trem em Campos do Jordão (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)

Estrada de Ferro continuará a gerir os passeios turísticos de trem em Campos do Jordão (Foto: Reprodução/TV Vanguarda)

A previsão é de que o edital seja aberto em 2018, depois que o projeto for aberto para a consulta pública. A previsão é de que o investimento na área com as obras seja de R$ 34,5 milhões.

A iniciativa de privatização veio depois que um projeto de reforma de 2015 não teve continuidade. A expectativa à época era de que a obra ficasse pronta até o fim de 2017, mas o investimento necessário derrubou a iniciativa.

De acordo com a secretaria, a expectativa é de que o contrato seja assinado até março de 2018, para início da concessão e obras.

Avaliação

Segundo o Sinhores, entidade que representa o comércio local, a privatização pode garantir a modernização para a área.

“O espaço é nobre, mas era uma parte morta da cidade. Precisava de um projeto de investimento e isso vai melhorar nossa condição de atendimento ao turista. O movimento que o novo parque vai receber vai refletir no comércio da cidade como um todo”, disse o diretor da entidade, Paulo César da Costa.

A área concedida tem um espaço hoje ocupado por comerciantes locais. Com a concessão, é a empresa quem decide quem vai ficar com as lojas. Apesar disso, o Sinhores disse que incluiu em tratativas a preferência para o comerciante que usa o espaço hoje.

Por nota, a prefeitura informou que acompanha o processo e que a iniciativa vai trazer retorno para o comércio sem investimento de verba municipal.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.