Home » Segurança » Preso em Tremembé, ex-goleiro Edinho tem habeas corpus negado pelo STF
Ex-goleiro do Santos, filho de Pelé, teve a pena reduzida a 12 anos e 10 meses em regime fechado no ano passado (Foto: Divulgação/Santos Futebol Clube)

Preso em Tremembé, ex-goleiro Edinho tem habeas corpus negado pelo STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, negou o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do ex-goleiro Edison Cholbi Nascimento, filho de Pelé. Ele está preso na penitenciária 2 de Tremembé (SP) por lavagem de dinheiro e associação ao tráfico.

Edinho foi preso pela quinta vez em fevereiro do ano passado após julgamento do recurso de apelação do ex-jogador – ele aguardava o julgamento na época em liberdade. Na ocasião, a Justiça condenou Edinho e reduziu a pena de 33 anos e quatro meses de reclusão para 12 anos e dez meses em regime fechado.

A decisão que negou o pedido habeas corpus é do último dia 2 e considerou uma questão burocrática. “Não compete ao Supremo Tribunal Federal conhecer de habeas corpus impetrado contra decisão do relator”, disse o ministro.

O G1 procurou o advogado do detento, Eugênio Malavasi, e aguardava retorno até a pubicação desta reportagem.

Em Tremembé, Edinho está em presídio conhecido por abrigar presos de casos de grande repercussão, como Alexandre Nardoni, condenado pela morte de filha Isabella; e Lindemberg Alves, que assassinou a namorada Eloá. O local já abrigou os irmãos Cravinhos, que agora cumprem pena em regime aberto; e o ex-médico Roger Abdelmassih.

Histórico

Edinho foi preso pela primeira vez em 2005, em operação dea delegacia de narcóticos que prendeu outras 17 pessoas. Ele foi acusado de ligação com uma organização de tráfico de drogas comandada por Naldinho, na Baixada Santista. Após seis meses em prisão provisória, foi solto com liminar em habeas corpus concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Em janeiro de 2006, ele teve a prisão decretada com o aditamento da denúncia, que passou a incluir o crime de lavagem de dinheiro. Edinho obteve o direito de permanecer em liberdade por causa de uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Em fevereiro, o Ministério Público denunciou o ex-goleiro por lavagem de dinheiro, o que resultou em uma nova prisão, 47 dias após conseguir a liberdade. Depois disso, a Justiça vinha negando com frequência os pedidos de liberdade feitas por Edinho.

No dia 21 de dezembro de 2006, a ministra Ellen Gracie havia negado pedido de habeas corpus feito pela defesa do ex-jogador mas, sete dias depois, os advogados pediram reconsideração da decisão. Edinho saiu da Penitenciária de Tremembé no dia seguinte.

No dia 30 de maio de 2014, o ex-goleiro foi condenado pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação ao tráfico de drogas após decisão da juíza Suzana Pereira da Silva, auxiliar da 1ª Vara Criminal de Praia Grande. Edinho foi preso no dia 7 de julho por não ter apresentado seu passaporte à Justiça, uma das exigências para permanecer em liberdade até a decisão final da Justiça. Ele conseguiu um habeas corpus para liberar seu cliente.

Em novembro do mesmo ano, o ex-goleiro foi detido no Fórum de Praia Grande, após cumprir a medida cautelar que exigia que ele comparecesse mensalmente em juízo e registrasse sua rotina. Edinho foi solto no dia seguinte. A Justiça acatou o pedido de habeas corpus impetrado pela defesa.

A quinta prisão foi em fevereiro do ano passado, quando ocorreu o julgamento da apelação e a redução da pena, que é cumprida em regime fechado.

G1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto:
WpCoderX